Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Domingo à tarde

Domingo à tarde

Temos muito medo da morte. Um medo terrível que nos transtorna e não desaparece. 

Prova disso é a constante fuga aos momentos que nos fazem repensar na nossa vida, no que andamos a fazer e do tempo que perdemos futilmente em merdas que não interessam a ninguém.

Mas quando nos cai no colo a notícia, o prenúncio, a hipótese remota, tudo nos cai. Ou não queremos morrer ou não queremos que morram as pessoas justas e boas. E acabo de ler algo que me fez repensar, de um maldito cancro terminal que nunca teve volta a dar.

O Diogo deu-nos o testemunho numa cama de hospital de que está fraco mas que arranjou forças para nos vir avisar sobre a maravilha que é podermos viver. Não consigo dizer muito mais. Deixo-vos o testemunho e cliquem para ler o resto do que ele escreveu.

3 comentários

  • Imagem de perfil

    David Marinho 01.06.2019 11:28

    Infelizmente já não dá para ver a conversa toda. Mas sim, é preciso um espírito enorme para se ser tão positivo numa situação dessas. Mas vá em paz, como todos nós um dia.
  • Imagem de perfil

    Mafalda Margarida 01.06.2019 16:16

    É mesmo preciso um espírito enorme. E sim, vamos todos, é mesmo só uma questão de tempo.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.